Ultima atualização: 26 de abril de 2020

Como escolhemos

10Produtos analisados

15Horas investidas

3Estudos avaliados

51Comentários coletados

Olá, tudo bom? Seja muito bem-vindo ao Sweetest Home! Hoje vamos trazer absolutamente tudo sobre o micrômetro, instrumento de precisão que garante eficiência e qualidade para sua oficina.

Com um micrômetro, não há pequeno tamanho que não possa ser medido, independente de material ou formato. Neste Guia, você verá os principais tipos de micrômetros, seus usos e indicações, os melhores do mercado, enfim, tudo o que você precisa saber para escolher o seu modelo ideal.

Primeiro, o mais importante

  • O micrômetro tem esse nome por trabalhar com a unidade de medida homônima, que equivale a mil milímetros.
  • Há muitas variações do micrômetro, mas as principais são o micrômetro externo e o micrômetro interno.
  • Como acontece com muitas das ferramentas de medição, o micrômetro tem versões digitais, com leitura automática e visor.

Os melhores micrômetros: Nossas recomendações

A seguir, vamos mostrar nossas recomendações dos melhores micrômetros do mercado. A capacidade, a precisão, o acabamento, a resistência, enfim, tudo foi considerado na nossa eleição, além, é claro, de seu custo-benefício.

O melhor micrômetro interno

O Micrômetro Interno da Mitutoyo é, sem dúvidas, um instrumento de ponta. Com exatidão de 0,003 mm, tem revestimento em titânio, especialmente as faces de medição, para melhor resistir ao desgaste. Na mesma pegada, tem o tambor e a bainha, de até 12 mm, com acabamento cromado. Inclui também estojo e chave. Não à toa, tem Certificado de Calibração Rastreado do Inmetro/RBC.

O melhor micrômetro externo

O modelo da Mitutoyo tem um design leve e elegante, com arco esmaltado e com as faces de medição de metal duro e micro lapidadas, e combina com o prático estojo plástico com forro interno de espuma. Com capacidade de 0 a 25 mm, tem aproximadamente 0,002 mm de exatidão e entre 5 e 10 N de força de medição. Tambor e bainha tem acabamento cromado, de maior resistência.

O melhor micrômetro digital

Com Certificado de Calibração com rastreabilidade Inmetro/RBC, este micrômetro externo digital é muito resistente, à prova de substâncias refrigerantes e proteção IP-65 contra água, poeira e jatos de óleo, fora a bateria de duração superior a um ano em uso normal. Possui superfície anti-derrapante, capacidade de 0-25mm e exatidão de 1µm. Tem também saída de dados, para maior eficiência e organização.

Guia de Compra

Existem medidas que são tão pequenas que réguas e trenas não dão conta. Para essas, só o micrômetro, que não só é o único capaz de medi-las como as faz com maior precisão que as demais ferramentas, com seus respectivos tamanhos, claro.

Mas esses tamanhos não são só muito pequenos, como também muito variados. Assim, os modelos de micrômetro precisam ser igualmente variados, para medir peças de diversos tamanhos, cilindros de diversos diâmetros, etc. No Guia de Compra a seguir, vamos esmiuçar essa diversidade, e falar de suas características e da melhor maneira de usá-las.

Imagem mostra dois homens em uma obra, vestidos com seus equipamentos de segurança e observado um papel, que seguram juntos.

O micrômetro é que vai definir com precisão aquela quantidade de zeros de uma medida, e você não perde tempo questionando o assunto. (Fonte: Anamul Rezwan/ Unsplash.com)

O que é o micrômetro?

O micrômetro é uma ferramenta da área da metrologia. Ele mede toda e qualquer dimensão linear de um objeto, como altura, largura, espessura, profundidade, diâmetro, e com enorme precisão.

Ele é assim chamado por trabalhar com a medida dos micrômetros, (ou micrómetros, ou micrometros, que equivale a 0,001 milímetros, ou 0.000001 metros. Sua abreviação se escreve “µm”.

Quando usar o micrômetro?

O micrômetro é comumente usado em duas situações, que podem ser concomitantes: quando é preciso medir algo muito pequeno, menor que um milímetro; quando não se quer perder a precisão de valores.

Por isso, é muito usado na engenharia, e principalmente na mecânica, com infinitas peças de medidas ínfimas, mas cuja presença nos cálculos precisa ser exata, especialmente em indústrias de risco, como a automotiva.

Imagem mostra um micrômetro sendo usado para medir a espessura de uma folha de papel.

O que mais vai conseguir medir a espessura de uma folha, senão o micrômetro?(Fonte: Olena Kachmar/ 123rf.com)

Para quem é indicado ter um micrômetro?

O micrômetro é indicado para quem trabalha com exatidão de números e com medidas muito pequenas. Assim, engenheiros especialmente civis e mecânicos, e outros profissionais de oficinas têm muito a ganhar com este instrumento.

Quem mexe com quaisquer outras peças muito pequenas também tem muito a se beneficiar com o micrômetro, e não necessariamente pela sua exatidão, mas pela facilidade de seu uso nesses casos.

Como ler o micrômetro?

Falando de uma forma simples, o micrômetro funciona ao colocar um objeto entre suas faces de medida, como o pistão e o suporte, e depois ajustando suas peças para medir este objeto, que é depois retirado do instrumento.

foco

Você sabia? A primeira patente do micrômetro foi oficializada em 1848, pelo parisiense Jean Louis Palmer.

A leitura acontece ao se observar as marcas na régua embutida, que marca décimos, centésimos e milésimos da medida usada, e fazendo a somatória das medidas, em suas devidas “casas”, é claro.

Micrômetro digital ou analógico?

O método acima, porém, não é o único de se fazer a leitura de um micrômetro. Até porque existe o micrômetro digital, cada vez mais acessível no mercado. Ele tem o mesmo formato, estrutura e funcionamento do analógico.

A diferença é que ele conta com um visor digital junto do suporte, que dá a medida ao simples apertar de um botão. A sua precisão, obviamente, é maior, por não existir a possibilidade de erro humano na leitura.

O instrumento, porém, pode ter problemas na calibragem, e comprometer a precisão da medida. O ideal é que os modelos possuam certificados de calibração do Inmetro.

Imagem mostra uma maleta aberta, com três micrômetros digitais dispostos lado a lado sobre sua espuma.

O micrômetro digital é mais prático e preciso, mas pode ter problemas de calibragem.(Fonte: Sorapol Ujjin/ 123rf.com)

Micrômetro interno ou externo?

Como falamos, o micrômetro precisa ter uma grande variação, para poder medir diversos formatos, objetos e dimensões. A principal variação é dos micrômetros internos e os externos.

O micrômetro externo é o mais antigo, o mais popular e o mais vendido. Como seu nome diz, é usado para fazer a medição da parte externa de, por exemplo, pequenas peças automotivas. Ele tem o formato similar ao de uma chave inglesa ou foice, com o objeto medido sendo posicionado entre o que seriam suas duas “pontas”.

O micrômetro interno é mais recente, mas de igual importância. Ele é usado, novamente, como o nome acusa, para medidas internas, principalmente de peças, como diâmetros internos de engrenagens, por exemplo.

Interno Externo
Uso Diâmetros e outras medidas internas Espessuras e outras medidas externas
Formato Cilindro Foice
Leitura digital Sim Sim

Micrômetro interno tubular ou dois contatos?

Dentro do segmento dos micrômetros internos, há mais variedades, entre os dois contatos e três contatos, que ditam o tipo de objetos que conseguem medir, e a maneira que o fazem também.

O micrômetro interno de três contatos é muito usado para superfícies cilíndricas, como canais, furos sem saída e furos roscados. Muitos destes modelos tem as pontas de contato que podem ser trocadas, e assim ajustadas ao objeto (ou no caso, o furo) a ser medido.

O micrômetro interno de dois contatos tem uma área de atuação um pouco mais limitada, exatamente por “faltar” este terceiro contato. Uma de suas variantes mais usadas, o micrômetro tubular, é usado para para medidas acima dos 30 mm, especialmente diâmetros.

Imagem mostra uma composição com um micrômetro interno de dois contatos com peças metálicas ao seu redor .

O micrômetro interno tem variações dentro de seu segmento, a partir do número de faces de contato que apresenta.(Fonte: Panals/ Pixabay.com)

Quanto custa e onde comprar um micrômetro?

Com diversos tamanhos, características e tecnologias, o micrômetro tem uma grande variação de preço. Você encontra modelos básicos a partir de R$ 60, e profissionais por até R$ 4000.

Você pode encontrar modelos de qualidade em muitas lojas de mecânica especializada, como a Instrusul e a Loja do Mecânico, e em sites de compras como a Amazon e o Mercado Livre, com grande variedade de modelos e de preços.

Critérios de Compra: como comparar os modelos de micrômetro

Para iniciantes, pode ser difícil escolher um modelo de micrômetro. São muitas informações, e é uma ferramenta de precisão, afinal de contas. Por isso, montamos uma lista de critérios de compra, com pontos que podem ajudar ao guiar a sua escolha.

Vamos, então, falar de cada um dos itens, para que você reúna o máximo de informações, e faça a melhor compra possível.

Estojo

Entre modelos similares, o estojo pode ser um ótimo critério de desempate. Afinal, estamos falando de uma ferramenta de precisão, que precisa de cuidado iguais no manuseio, transporte e armazenamento.

Assim, examine se possível o estojo dos micrômetros de sua escolha, e note a qualidade do seu forro, geralmente de espuma, o material e a resistência do revestimento e a fixação, enfim, do instrumento durante o transporte.

Imagem mostra um micrômetro externo apoiado na espuma de uma maleta aberta.

Um estojo ou maleta é essencial para um instrumento com a medição tão precisa como o micrômetro.(Fonte: byrev/ Pixabay.com)

Tipo de medição

O tipo de medição que você pretende fazer é uma informação vital para a escolha do micrômetro ideal. Não só há modelos mais adequados a certas medições como algumas delas requerem tipos específicos do produto.

Medições de profundidade, por exemplo, precisam de hastes de extensão ajustáveis; medições de roscas, necessitam de micrômetros com hastes furadas; paredes de tubos precisam de hastes móveis e contato em 90 graus, e por aí vai.

Acabamento

O acabamento é um ponto essencial para determinar a qualidade do micrômetro. Ele dita a resistência, a durabilidade e, até certo ponto, a experiência do usuário. Isso porque suas faces de medição são constantemente expostas ao desgaste, e o acabamento é como um “antídoto” para isso.

O ideal é que o modelo tenha acabamento titânio, hiper resistente, ou pelo menos que seja de metal cromado. Acabamentos foscos também têm o seu valor, porque evitam reflexos e facilitam a leitura da medição.

Imagem mostra um micrômetro externo de metal fundido, apoiado numa uma superfície branca.

O acabamento do micrômetro indica a sua qualidade, pois influencia na sua durabilidade e na experiência do usuário.(Fonte: simmer65/ Pixabay.com)

Força de medição

Muitos dos erros de cálculo e utilização de um micrômetro têm a influência da força de medição.

O ideal para diminuir ao máximo essas ocorrências é que você utilize um modelo com a menor força de medição possível e com a maior estabilidade possível, isto é, com o menor valor de intervalo entre a força máxima e a força mínima.

(Fonte da imagem destacada: Sorapol Ujjin/ 123rf.com)

Por que você pode confiar em mim?

César Ferreira Formado em Engenharia Industrial
César é apaixonado por carros. Talvez tenha sido essa paixão que o levou a, desde pequeno, querer entender como as coisas funcionam. Essa curiosidade, por sua vez, lhe fez cursar Engenharia Industrial. Hoje, ele presta consultoria para pequenas e médias empresas e, nas horas vagas, deixa seu carro - e o de seus amigos - cada vez mais tecnológicos e especiais.